A franquia ‘Pânico’ foi baseado em fatos reais, conheça a história por trás dessa franquia que fez milhares de fãs ao redor do mundo, através dessas 7 curiosidades:

Homem Torto | Será um “conto de fadas sombrio”, diz James Wan

Conheça a verdadeira história que inspirou o filme ‘O Exorcista’

Conheça a verdadeira história que inspirou o filme ‘Invocação do Mal 2’

Conheça a verdadeira história da boneca Annabelle

1 – Baseado em fatos reais

Em 1990, um serial killer aterrorizou a cidade de Gainesville na Flórida. Os policiais descobriram que se tratava de um único assassino em série quando descobriram um padrão nas mortes. Mulheres, jovens, mortas a facadas em sua própria casa.

2 – As vítimas

O primeiro ataque aconteceu em 24 de agosto de 1990: Sonja Larson de 18 anos, e Christina Powell de 17 foram atacadas dentro de seu próprio apartamento. Sonja foi esfaqueada até a morte. Enquanto Christina foi estuprada e morta com facadas múltiplas nas costas. Ambos os corpos dos jovens foram mutilados e expostos de maneira singular, dignas de um serial killer.

Na noite seguinte o mesmo aconteceu com Christa Hoyt. Ela também foi atacada, amarrada, estuprada e morta a facadas nas costas. Assim como foi mutilada e exposta de maneira bizarra. Os policiais a encontraram sentada em uma prateleira.

No dia 27 de agosto, outras duas vítimas foram encontradas assassinadas com os mesmos traços e características do seriall killer. Manny Taboada e Tracy Paules foram mortas exatamente da mesma maneira.  Os jornais locais apelidaram o psicopata de “O estripador de Gainesville”.

3 – Suspeito número 1

Edward Lee Humphrey foi o primeiro suspeito em potencial apontado pela investigação. Ele foi preso no dia 30 de agosto depois de assaltar a própria avó de 79 anos. Edward havia parado de tomar seus remédios que controlavam o seu transtorno de bipolaridade.

Ele também foi apontado por amigos próximos de estar agindo de maneira estranha e andando para todos os lados com uma faca.

Edward foi considerado mentalmente instável para ser julgado, mas foi confinado à uma instituição para doentes mentais em janeiro de 1991.

Foi quando a polícia descobriu que havia a possibilidade de outro suspeito.

Suspeito número 2

Danny Rolling se tornou o principal alvo da investigação. O seu perfil era digno de um homem problemático. Ele foi abusado durante a infância por um pai que espancava a família por não “respirarem direito”.

Desde os 11 anos, Danny se automedicava com remédios misturados com álcool. Ele foi dispensado da força aérea americana depois de ser diagnosticado com transtorno de personalidade. Assim como chegou a ser preso por roubos em supermercados.

Além disso, ele já havia atirado contra o seu próprio pai.

A confissão do assassino

Danny foi retido pela polícia e acabou se mostrando o verdadeiro culpado. Daniel Harold Rolling é o serial killer de Gainesville. Ele confessou seus crimes de uma maneira bastante inusitada.

Ele começou a detalhar as mortes para seu companheiro de cela na prisão, chamado Bobby Lewis.

Quando foi levado a um interrogatório oficial, Daniel respondia as perguntas cochichando no ouvido de Lewis, para que seu colega transmitisse as mensagens aos investigadores.

De acordo com o site ThoughtCo., Daniel declarou que ainda não havia terminado sua missão. Isso porque seu desejo era de assassinar mais oito pessoas.

O assassino cantou durante sua execução

Daniel foi executado nos Estados Unidos, no dia 25 de outubro de 2006, às 18:13 da noite.

Durante seus últimos minutos, enquanto a injeção letal era aplicada, ele não pediu perdão ou demonstrou arrependimento pelo que tinha feito. Na verdade, de acordo os oficiais que presenciaram a cena, ele cantou uma música composta por ele mesmo.

O medo inspirou o diretor

O diretor contou na época do lançamento do primeiro filme da franquia, que ficou impressionado com a história real enquanto assistia um especial que falava sobre as mortes em Gainesville.

“Eu fui ficando tão assustado. Durante o comercial eu escutei um barulho e fui checar a casa”, disse ele em entrevista à rede CNN na época.

Ele conversou com seus amigos à respeito da história e naquela mesma noite ele começou a desenhar o roteiro do filme.

“Eu fui dormir muito assustado e tive pesadelos, então eu acordei às três ou quatro horas da manhã e comecei a escrever a cena de abertura de “Pânico”, acrescentou ele.

Daniel Harold Rolling, o serial killer de Gainesville.

 

 

Fonte: Fatos Desconhecidos