Crianças podem dizer coisas muito estranhas e assustadoras as vezes. Alguns pais relataram ao site Reddit as coisas mais assustadoras que seus filhos já lhes disseram.

Uma noite de diversão se transforma em um jogo cruel de sobrevivência no trailer de ‘Escape Room’

Amityville: O Despertar | Filme ganha nova data de estreia, assista trailer dublado

Veja os relatos dos pais contando as coisas assustadoras que os seus filhos já contaram:

 

O garoto do ventilador

“Minha filha tinha quatro anos de idade. Em uma manhã ouvi a porta do quarto dela bater e fechar, o que geralmente significava que ela iria para o nosso quarto para se deitar junto de nós. Porém, ela não veio e logo depois eu ouvi sua voz. Esperando que ela voltasse a dormir, deixei-a que ficasse um pouco acordada. Então eu ouvi a porta se abrir e fechar novamente. Desta vez decidi ir ao quarto dela para ver porque ela continuava saindo da cama. Eu entrei e ela estava com os olhos fechados:

‘Querida?’

‘Sim papai.’

‘Por que você saiu da cama?’

‘Eu não, estava tentando dormir, mas ele não me deixou em paz. Ele continuou falando comigo e me fazendo perguntas.’

‘Ele? Quem é ele?’

‘O garotinho que estava no meu quarto.’

‘Hmm… querida, isso foi apenas um sonho. Não há nenhum menino em seu quarto.’

‘Eu sei disso. Ele acabou de sair.’

‘Ok, bem… O que o menino estava fazendo?’

‘Ele estava pendurado no ventilador de teto e me fazendo várias perguntas.’

‘Como ele estava pendurado no ventilador? Com os braços?’

‘Não, com uma corda.’

A mulher do teto

“Minha filha disse que há uma mulher que a observa dormir em seu quarto, que ela dorme no teto acima de sua cama. Ela também diz que a mulher não gosta de mim e quer comer o meu coração.”

A garotinha psicótica

“Quando eu era garçonete, assisti uma menina com seu garfo de plástico perfurar consecutivamente um sanduíche, dizendo:

‘Morre, morre, morre, morre, morre.’

Quando eu perguntei o que estava fazendo, ela respondeu com uma cara séria:

‘Eu gosto de matar coisas, mas minha mãe diz que eu não deveria. Então eu peguei o presunto, porque ele não pode gritar.”

O homem

“Eu estava conversando aleatoriamente em casa com minha família quando minha filha disse:

“Eles são nossos amigos, mas o homem que rasteja no chão e fica ao lado da minha cama não.”

Impulso

“Meu filho de três anos estava segurando seu irmãozinho pela primeira vez quando ele olhou para mim e disse:

‘Então, eu não deveria jogá-lo no fogo?’

Recordações

“Relato de minha filha: ‘Antes de eu nascer aqui, eu tinha uma irmã, certo? Ela e minha outra mãe estão velhas agora. Elas ficaram bem depois que o carro pegou fogo, mas eu não.’”

O armário

“Eu estava colocando minha filha na cama uma noite quando tinha cerca de dois anos e ela disse:

‘Mamãe, quem é?’

‘Quem é o quê?’; perguntei.

E ela disse:

‘Essas pessoas que ficam falando comigo no meu armário, quem são eles?’”

Uma questão

“Papai, lembra daquela vez em que morremos?”

Origens

“Eu não sou seu filho, e eu não sou do papai, sou do homem assustador.”

O homem azul

“Meu filho estava na banheira numa noite com a porta do banheiro aberta, e eu estava no quarto ao lado. Ele gritou e disse:

‘Ei, mamãe, quem era aquele cara azul que estava andando pelo corredor?’

Ele relatou que era um indivíduo alto, magro e sem traços faciais.”

O cirurgião

“Depois que meu filho de quatro anos soube que minha irmã estava grávida, ele disse:

‘Precisamos tirar o bebê, vou buscar a faca.’”

Plano de ação

“Eu vou cortar sua garganta e jogá-lo na piscina.”