Em 1970, uma mãe comprou uma boneca Raggedy Ann, para sua filha Donna. Donna, na época, era uma estudante de enfermagem e morava com Angie, em um apartamento pequeno.

Donna, colocou a boneca em cima da sua cama, depois de alguns dias, Donna e Angie notaram algo assustador com a boneca. A boneca, movia-se sozinha, em movimentos imperceptíveis, mas com o tempo o movimento se tornou mais perceptível.
Sempre que Donna e Angie chegavam em casa, elas encontravam a boneca em lugares diferente, às vezes, a boneca era encontrada de braços e pernas cruzadas no sofá, outras vezes era encontrada na posição vertical, em pé, encostada em uma cadeira na sala de jantar. Várias vezes Donna colocava a boneca no sofá antes de sair para o trabalho, e quando voltava para casa encontrava a boneca de volta em seu quarto sobre a cama com a porta fechada.

Com o passar dos dias, mais coisas estranhas começaram a acontecer, elas começaram a encontrar mensagens à lápis sobre um papel de pergaminho onde lia-se “Ajude-nos” e “Ajude Lou”. A escrita à mão parecia ser de uma criança. A parte assustadora sobre as mensagens não eram os textos, mas a maneira como eles foram escritos. Donna não tinha papel de pergaminho em sua casa, onde as mensagens foram escritas.

Teve um dia, em que Donna voltou para casa e encontrou a boneca novamente em uma posição diferente da que havia deixado, desta vez em sua cama. Donna nesse dia, sentiu algo de diferente e teve medo, quando ela resolveu olhar a boneca, viu algo que pareciam gotas de sangue na parte de trás de suas mãos e em seu peito. Assustadas Donna e Angie decidiram que era hora de procurar ajuda.

Elas chamaram uma médium e uma sessão foi realizada. Donna foi então apresentada ao espírito de Annabelle Higgins. A médium relatou a história de Annabelle para Donna e Angie.

Annabelle era uma jovem que residia na propriedade antes dos apartamentos serem construídos, ela era uma menina de apenas sete anos de idade quando seu corpo sem vida foi encontrado no campo em que o complexo de apartamentos estavam agora.
O espírito relatou à médium que ela se sentiu confortável com Donna e Angie e queria ficar com elas e ser amada. Sentindo compaixão por Annabelle e sua história, Donna permitiu que a boneca continuasse “possuída” para que Annabelle pudesse ficar com elas.

Lou era amigo de Donna e Angie, ele nunca gostou da boneca e em várias ocasiões disse para Donna que a boneca era do mal.

Teve uma noite em que Lou acordou uma noite em pânico, era como se ele estivesse acordado, mas não podia se mover. Ele olhou ao redor da sala, mas não viu nada incomum, quando ele olhou para baixo em direção a seus pés, ele viu a boneca, Annabelle. Ela começou a deslizar lentamente subindo por sua perna, depois sobre seu peito e então parou. Em poucos segundos a boneca começou a estrangulá-lo. Paralisado e ofegante Lou, apagou. Lou acordou na manhã seguinte, certo de que não era um sonho.

No dia seguinte, Lou e Angie estavam olhando mapas sozinhos em seu apartamento. O apartamento parecia estranhamente silencioso. De repente, sons vindos da sala de Donna despertou o medo de que alguém poderia ter entrado no apartamento. Lou, determinado a descobrir quem ou o que estava ali, foi caminhando calmamente para a porta do quarto. Ele esperou que os ruídos parassem antes de entrar e acender a luz. A sala estava vazia, exceto por Annabelle que estava jogada no chão, no canto. Lou olhou toda a sala procurando por sinais de uma entrada forçada, mas nada estava fora do lugar. Porém, conforme ele se aproximava da boneca, teve a nítida impressão de que alguém estava atrás dele. Ao se virar rapidamente, percebeu que não havia mais ninguém lá. Logo em seguida, em um flash ele se viu agarrando seu peito, se encurvando de dor, com cortes e sangrando. Sua camisa estava manchada de sangue e ao abrir a camisa, lá no seu peito, estava o que parecia ser sete marcas de garras distintas, três na vertical e quatro na horizontal, todas estavam quentes como queimaduras. Essas marcas se curaram quase imediatamente, no dia seguinte já estavam bem fracas e no segundo dia já haviam desaparecido completamente.

Donna, então entrou em contato com um padre episcopal chamado Padre Hegan. O padre sentiu que era uma questão espiritual e que precisava entrar em contato com uma autoridade maior na igreja, então ele contatou o Padre Cooke, que imediatamente chamou Ed e Lorraine Warren.

Ed e Lorraine Warren, entraram em contato com Donna, então eles chegaram à conclusão imediata de que a boneca em si não era de fato possuída, mas manipulada por uma presença sobrenatural.

Ed e Lorraine Warren, acharam que seria bom ter uma recitação de uma bênção de exorcismo pelo Padre Cooke para limpar o apartamento. Então o Padre concordou em realizar o ritual de exorcismo, uma doutrina que ele recitou em todo o apartamento.

Donna, depois da benção pediu para Ed e Lorraine Warren, levarem a boneca junto com eles.

Eles concordaram em levar a boneca de pano de volta para casa com eles. Antes de ir, Ed colocou a boneca no banco de trás do carro e concordou que não iria dirigir pela interestadual, no caso de o espírito não-humano ainda residir com a boneca.

Suas suspeitas foram todas confirmadas, eles sentiram-se como objetos de um ódio vicioso. Então, em cada curva perigosa o carro patinava e morria causando falha na direção hidráulica e nos freios. Repetidamente o carro beirava a colisão. Ed então parou o carro, foi até o banco de trás e pegou, em sua bolsa preta, um frasco de água benta e encharcou a boneca fazendo o sinal da cruz sobre ela. Os distúrbios pararam imediatamente e eles chegaram em casa em segurança.

Quando eles chegaram em casa, Ed sentou a boneca em uma cadeira ao lado de sua mesa. A boneca levitou várias vezes no início, em seguida, ela parecia cair inerte. Durante as semanas que se seguiram, no entanto, a boneca começou a aparecer em várias salas da casa. Quando os Warren saiam e deixavam a boneca trancada no edifício exterior, eles muitas vezes voltavam e quando abriam a porta da frente encontravam a boneca sentada confortavelmente em cima de cadeira de Ed.

Teve um dia, em que o Padre Jason Bradford, um exorcista católico, foi até a casa e ao ver a boneca sentada na cadeira, ele pegou e disse: “Você é apenas uma boneca de pano, Annabelle, você não pode machucar ninguém”, e jogou a boneca de volta na cadeira, Ed exclamou: “Isso é uma coisa que é melhor você não dizer.”
Ao sair, uma hora mais tarde, Lorraine pediu encarecidamente ao padre para que tomasse muito cuidado ao dirigir e que ligasse para ela quando chegasse em casa. Lorraine previu a tragédia com o jovem, mas ele teve que ir embora. Poucas horas depois Padre Jason ligou para Lorraine e explicou que seus freios falharam quando ele entrou em um cruzamento movimentado, ele foi envolvido em um acidente quase fatal que destruiu seu carro.

Ed e Lorraine Warren, tem uma caixa construída especialmente para Annabelle dentro do Museu Ocultista, onde ela está até hoje. Desde que a caixa foi construída, Annabelle, não se move, mas ela é tida como responsável pela morte de um jovem que veio para o museu em uma moto com sua namorada. O jovem, após ouvir o relato de Ed sobre a boneca, foi para cima e começou a bater sobre a caixa insistindo que, se a boneca podia deixar marcas nas pessoas, então ele queria ser marcado também. Ed disse para o jovem: “Filho, você precisa sair” e o colocou para fora.

No caminho para casa, o jovem e sua namorada estavam rindo e zombando da boneca quando perderam o controle da motocicleta e bateram com a cabeça em uma árvore. O jovem morreu na hora e sua namorada sobreviveu e ficou hospitalizada por mais de um ano.

O filme Annabelle 2 será lançado em agosto nos cinemas brasileiros.