A história do filme é a seguinte: Apaixonada pelo misterioso Sir Thomas Sharpe (Tom Hiddleston), a escritora Edith Cushing (Mia Wasikowska) muda-se para sua sombria mansão no alto de uma colina. Habitada também por sua fria cunhada Lucille Sharpe (Jessica Chastain), a casa tem uma história macabra e a forte presença de seres de outro mundo não demora a abalar a sanidade de Edith.

É só os cinéfilos fãs de terror e suspense ouvirem um nome: Guillermo del Toro (diretor de Blade II e O Labirinto do Fauno); que já é o suficiente para ir correndo para o cinema. Fui assistir ao filme com as expectativas lá no alto, o que NUNCA é algo bom. Porque são 90% de chances de você se decepcionar com o filme, o que foi o meu caso.

A casa que produziram para o filme, nossa, sem comentários. Está maravilhosa, é uma casa perfeita para filmes de terror. A cinematografia, a trilha sonora, e o figurino estão impecáveis. Os jogos de câmeras e enquadramentos, muito bons. Tecnicamente, o filme é perfeito, é no roteiro que começam a surgir os problemas. O foco da história, é o romance entre os personagens Thomas e Edith, esqueça totalmente o terror.

E, aliás, os atores estão mornos, ao meu ver, Tom Hiddleston está bem, Mia Wasikowska também, porém, Jessica Chastain que eu considero uma ótima atriz, não foi bem encaixada no papel. As cenas de terror são pouquíssimas, dá para contar nos dedos, são 4 ou 5. Mas, quando elas acontecem, são ótimas. Há uma sequência bem tensa, onde um espírito sem pele persegue Edith. Deveriam focar mais em cenas assim, do que no romance. E sobre o final, ”qual o mistério dos irmãos?” SUPER PREVISÍVEL.

Enfim, ”A Colina Escarlate” tem um visual lindo, foi extremamente bem produzido e possuí cenários ótimos. Porém, tem mais romance do que deveria, peca em possuir um roteiro muito previsível, não tendo nada (além do visual) que o diferencie dos filmes de terror atuais, sendo um dos piores (ou menos bons) trabalhos da carreira de Guillermo del Toro. Esperava um filme que iria revolucionar em meio a tantos outros genéricos do gênero, mas só encontrei um razoável.

Nota: 6.1