A história do filme é a seguinte: Quando um vídeo constrangedor de Laura Barns (Heather Sossaman) cai na internet, a menina tira a própria vida no pátio da escola. Um ano depois, um grupo de seis amigos conversam via Skype e percebem que há uma sétima pessoa desconhecida na vídeo-conferência, que revela ser sua ex-colega de classe, Laura, exigindo saber quem postou o vídeo que a levou à morte. Eles pensam que é uma brincadeira mas logo descobrem que há algo estranho, já que a menina começa a revelar segredos dos amigos e os ameaça de morte.

O formato do filme é muito inovador, pelo menos, ao meu ver. Trouxeram um filme de terror para os tempos atuais de uma forma muito boa e inteligente, e ao mesmo tempo… simples. O roteiro do filme não é um roteiro complexo nem nada, é um roteiro simples. As atuações do filme estão mornas, boa mesmo só foi a atriz que interpretou a Blaire, Shelley Hennig, a mesma que fez Malia Tate em Teen Wolf. Aliás, tem um leve easter-egg no filme onde Blaire está no Google Chrome com a aba de Teen Wolf aberta.

Vamos falar sobre algo importante, as mortes. Eu, particularmente, achei as mortes mal feitas, o filme é criativo em si, mas nas mortes… bem… deixa á desejar. Um plot twist não é existente em ”Unfriended”, o qual eu ficaria extremamente feliz se tivesse um. Até tem um, na verdade, bem leve, mas não é lá uma grande surpresa. A ideia de ter um espírito vingativo que ataca pelas redes da internet, apesar de não ter muita coerência, é diferente (no bom sentido), pois precisamos de novas ideias nos filmes de terror atuais.

Resumindo, ”Unfriended” é um filme super previsível, com mortes mal elaboradas e um elenco mal escolhido. Porém, o filme tem uma tensão bem executada, sem apostar nos famosos jump scares, claro que tem, mas são poucos. E é, também um filme original e interessante. Recomendo.

Nota: 7.7