Já assistiu “Feitiço do Tempo”? Com Bill Murray… Aquele dos Caça-fantasmas… Tree não.

A Morte Te Dá Parabéns” cria um terror em cima da ideia de uma pessoa presa num looping de tempo. Esta ideia foi muito bem trabalhada em um episódio memorável de Supernatural (E11S03) e mais recentemente não tão bem trabalhada na comédia “Nu” da Netflix. É algo delicado, pois se errar a mão pode ficar bem maçante ou deixar muitas pontas soltas. Em “A Morte Te Dá Parabéns” isso não acontece.

Nossa protagonista é Tree, vivida pela linda Jessica Rothe. Ela está muito bem no papel e faz exatamente o que manda o roteiro, reaparece para odiá-la e amá-la.

É aniversário da garota e no fim do dia ela é assassinada, quando isso acontece ela acorda presa no mesmo dia. Ela conclui que pra se ver livre dessa maldição precisa descobrir a identidade de seu assassino e acabar com ele antes. Tree se mostra uma pessoa não muito legal a princípio, então é bacana vê-la morrendo nas primeiras vezes, mas aos poucos ela nos conquista com seu carisma.

Que fique claro que não é o tipo de filme feito para dar medo, isso fica bem visível no trailer, mas é bom reforçar, se for assistir nessa intenção pode se decepcionar um pouco. O filme tem um quê de slasher e é extremamente divertido, ele tem umas sacadas de humor que lembram o estilo “Scream Queens”.

O final não é previsível (pelo menos eu não acertei), e o enredo traz reviravoltas que tornam a história sempre interessante apesar das inúmeras repetições.

Um ótimo filme de baixo orçamento, tem todo o jeitão de que vai virar um clássico da TV a cabo no futuro, daqueles que a gente vê milhares de vezes e não enjoa.

 

Nota: 9.0