A história do novo filme da franquia é a seguinte: Nica Pierce (Fiona Dourif) está cumprindo pena em um hospital psiquiátrico após ser acusada pelos crimes que o boneco Chucky (voz de Brad Dourif) cometeu. Agora, o brinquedo assassino dá um jeito de ir terminar o que começou, colocando a vida da moça em perigo novamente. O único que pode ajudá-la é Andy Barclay (Alex Vincent), o primeiro a enfrentar o boneco, agora adulto, e que terá sérias dificuldades quando Tiffany (Jennifer Tilly), a noiva de Chucky, retorna para ajudar o amado.

2017 está sendo um ano bom para os filmes de terror, contando com filmes de sucesso absoluto de público e crítica, como ”It: A Coisa” e ”Corra!”. Eis que chega então o novo filme do boneco assassino, ”O Culto de Chucky”, eu confesso que estava positivo com essa continuação, pois gostei do último lançado antes desse, ”A Maldição de Chucky”. Mas, quando lançou o trailer eu já fiquei com um pé atrás, afinal, parecia que ia ser muita coisa para contar em um filme só e tudo ia acabar ficando muito confuso.

A cena de abertura mostra mais sobre a relação de Andy e Chucky após aquela cena pós-créditos de ”A Maldição de Chucky”, é interessante. Depois dessa abertura, a trama é introduzida, nos mostrando um hospital psiquiátrico onde Nica está mantida após ter sido acusada de cometer os assassinatos que Chucky havia cometido. A trama se torna bem óbvia, onde coisas estranhas começam a acontecer e ninguém acredita nos pacientes, pois eles sofrem de problemas mentais.

Sobre os atores, nenhum deles tem muito destaque na trama, com algumas exceções. Fiona Dourif já tinha interpretado Nica em ”A Maldição de Chucky” e se saído bem e aqui ela continua a mesma coisa, com o diferencial que sua personagem está mais cansada de tudo. Brad Dourif ainda dubla bem o personagem Chucky, tornando seus momentos de diálogo os melhores do filme. Além desses dois, nenhum dos outros atores tem muito destaque.

O roteiro aqui é bem bagunçado e com pouco desenvolvimento, são personagens demais para a trama e não conseguiram colocá-los de maneira adequada. A direção de Don Mancini é apressada e antes que a cena que está sendo mostrada possa ser desenvolvida, ele pula para outra cena seguinte, impossibilitando que o espectador possa imergir na história. As cenas de morte são legais até, apesar de uma ter me deixado bem incomodado por não fazer sentido algum.

Lembram do filme ”Sexta-Feira 13 – Jason vai para o Inferno” onde eles tentaram inovar a franquia trazendo algo diferente para Jason? Pois é, tentam a mesma coisa aqui com o Chucky, não irei contar o que eles tentam trazer de novo para o personagem, mas só posso dizer que não gostei nada e achei que ficou bastante exagerado. O final inteiro é uma total galhofa, que chega a dar vergonha alheia, mas termina de uma forma que deixa a entender que terá uma continuação.

Resumindo, ”O Culto de Chucky” tem algumas partes divertidas, porém é bagunçado, muito confuso e falha demais na tentativa de trazer inovação para a franquia.

Nota: 3.8

PS: Tem cena pós-créditos, assista até o final.