A história do filme  é a seguinte: Uma família prestes a mandar a problemática filha adolescente para o internato embarca em uma viagem de carro. Para descansar durante a noite, eles estacionam em um monótono estacionamento de trailers, onde descobrem que o terror os espreitam. A noite se torna um pesadelo quando a família se vê atormentada por um grupo de mascarados e devem lutar pela sobrevivência para escapar dos Estranhos.

A qualidade do primeiro, de 2008, é questionável. Eu, como bom fã de suspense e do subgênero slasher, gostei do filme, achei que ficou bem feito e tudo mais, apesar de seus erros. Não tinha um motivo real de ter uma continuação, os assassinos nem eram tão assustadores ou de presença para poder ter mais de 1 filme, mas ok, eis que no ano passado foi confirmado a sequência de ”Os Estranhos”, e confesso que eu não esperava muita coisa.

A cena de abertura do filme não empolga muito, tenta criar um suspense e um terror logo de cara, mas é meio nhé. De resto, durante o filme inteiro fiquei me perguntando: ”Qual era a necessidade mesmo de fazer essa continuação?”; eu realmente não sei. O filme é basicamente idêntico ao original, de 2008, a única diferença é que aqui é com a família e o outro era apenas com um casal. Sério, eu entendo franquias como ”Jogos Mortais” e ”Sexta-Feira 13” terem filmes repetitivos e tudo o mais, é divertido… esse aqui não!

Sobre os atores, estão mal. A garota adolescente, Kinsey, interpretada por Bailee Madison (sim, ela mesma, que interpretou a garotinha naquele filme do Adam Sandler, ”Esposa de Mentirinha”), não é uma personagem legal, incomoda ver ela em cena, de vez em quando, desmérito da atriz e do roteiro cheio de diálogos chulos. Lewis Pullman, como Luke, também não consegue transmitir emoções genuínas para o seu personagem.

O quase inexistente desenvolvimento dos assassinos, da família em geral, foram problemas no primeiro filme e aqui não é diferente. Você realmente não se importa com os personagens principais, principalmente porque eles são muito burros. Tudo bem, em um filme de terror, a maioria dos personagens são burros, mas aqui eles realmente se superam, com exceção do 3º ato, onde parece que eles finalmente aprenderam a pensar.

A trilha sonora é excelente, principalmente porque adoro músicas dos anos 80. O roteiro é reciclado, cheio de clichês, sem atmosfera. O filme não traz nada novo como sequência, nada que o justifique. Algumas cenas são boas, tem algumas mortes que funcionam, para um slasher. Nos minutos finais, até que o filme me divertiu, conseguiu trazer aquele sentimento nostálgico dos slashers dos anos 80/90, foi bom, mas não o suficiente para justificar o resto do filme.

”Os Estranhos – Caçada Noturna” é uma sequência preguiçosa, quase idêntica ao anterior, não adiciona em nada e tem um roteiro repleto de enlatados clichês. Conta com algumas boas cenas, é verdade, tem uma homenagem aos slashers dos anos 80/90 que funciona e uma ótima trilha sonora, mas isso não é o suficiente.

Nota: 4.5