A história do filme é a seguinte: Os amigos Jannicke (Ingrid Bolsø Berdal), Eirik (Tomas Alf Larsen), Mikail (Endre Martin Midtstigen), Ingunn (Viktoria Winge), e Morten Tobias (Rolf Kristian Larsen) resolvem esquiar nas montanhas durante o inverno. Só que Morten sofre um acidente e acaba quebrando a perna, o que faz com que todos parem suas atividades e procurem um abrigo para passar a noite. Eles então encontram um hotel abandonado no meio do nada, e descobrem que ele está fechado desde 1975, quando o garoto que morava lá desapareceu nas montanhas. No entanto, quando eles acordam na manhã seguinte, eles percebem que estão presos no hotel com um assassino psicopata, e que terão que se proteger para sobreviver.

Essa é a premissa básica de slashers. O começo do filme é lento, é algo que já vimos muitas vezes. Os jovens farreando, se divertindo e tudo o mais. Quando eles acham o hotel, é tomado um rumo mais interessante.

Os atores, em geral, estão normais. Funcionam, mas não são nenhum destaque. Com excessão de Ingrid Bolsø Berdal, que consegue mostrar uma garota feliz e frágil que aos poucos se torna numa personagem badass que precisa escapar daquela situação e sobreviver, nunca deixando os amigos de lado, claro.

Os diálogos do filme são péssimos, não dá para acreditar em que alguém naquela situação iria falar coisas  daquele tipo. Nos slashers e até nos filmes de terror em geral, sempre tem que ir alguém investigar o barulho, mas sempre tem um sensato que fica de fora e diz para o pessoal que é melhor não ir. Isso faz falta nesse aqui, um personagem sensato assim.

Vamos falar sobre o assassino. Ele é ameaçador, alto, com um bom visual e usa de arma uma picareta. Quando ele entra em cena, a câmera é bem usada nunca mostrando a face dele. Só mostrando ele matando a pessoa. A câmera tremida é bem usada pelo diretor, consegue criar um mistério em algumas cenas e um tom frenético em outras. As mortes são bem legais, com a ajuda do jogo de câmera.

É um filme bem dirigido, apesar de não ser muito inventivo, o diretor manipula quem assiste o filme de uma forma muito boa, mostrando no final um plot twist bem interessante. A trilha sonora varia demais entre excelente e amadora. A cinematografia é boa, o hotel tem cores obscuras e é bem sujo, as montanhas e a neve são bem claras e, devo dizer, lindas. O local é todo muito bonito.

Resumindo, é um slasher que vacila em algumas horas, com a história clichê e diálogos ruins. Mas tem mortes boas, é tecnicamente muito bem executado, e consegue divertir e entreter quem é fã do gênero slasher. É uma ótima pedida.

Nota: 8.5