A história da série baseada no filme ”Pânico” de 1996, é a seguinte: Depois de um incidente de cyber-bullying resultar em um assassinato brutal, a violência reacende a memória de uma série de assassinatos que ocorreram no passado em Lakewood, que intrigaram alguns e talvez tenham inspirado um novo serial killer. Um grupo de adolescentes, com dois velhos amigos tentando se reconectarem, se tornam amantes, inimigos, suspeitos, alvos e vítimas de um assassino que está à procura de sangue.

O começo do primeiro episódio já temos uma morte muito boa, a de Nina. Lembra bastante os filmes de Wes Craven e isso é algo muito bom. A série, ao decorrer dela, tem um bom desenvolvimento de personagem. Partes das melhores cenas, são os flashbacks contando a história de Brandon James, o serial killer que cometeu assassinatos no passado, usando uma máscara cirúrgica. Não tive problemas com a nova máscara, até considerei legal.

O que me incomodou bastante na série, foi uma das coisas principais: Os atores. Nenhum dos atores principais está bem, sem exagero. A pior de todas as atrizes da série, é Bex Taylor-Klaus (Audrey) ela está totalmente sem expressão facial, curiosamente a máscara de Scream tem mais expressão facial do que ela. O personagem Noah, interpretado pelo ator John Karna, de início é um personagem legal. Fazendo referências á cultura pop, filmes e tudo o mais, isso é sempre bom. Porém, é usado em excesso. Noah está toda a hora fazendo referências, e chega ao ponto em que isso fica chato demais.

E a grande revelação da série, ”Quem é o assassino?” é bem previsível. Pelo menos, eu descobri lá pelo 2º ou 3º episódio da série. [ALERTA DE SPOILER]: A assassina ser a Piper Shaw, foi algo óbvio. A garota que chega a cidadezinha justo na época do primeiro assassinato, e fica sempre juntinho da Emma. Mesmo depois que ”parece” estar tudo resolvido, ela continua lá sem ir embora da cidade. Então, só podia ser ela. [FIM DE SPOILER]. 

O roteiro da série, é muito bem feito, apesar de ser um pouco ”Malhação” demais. A trilha sonora foi o que mais me agradou. Ela consegue dar o suspense nas cenas e criar a atmosfera certa para a série. Outro ponto bem alto são as mortes. As mortes usam do minimalista e, mesmo assim, conseguem fazer mortes legais. Tem alguns cortes de cena mal executados, onde o assassino está no chão e no corte seguinte ele já está de pé. Mas nada que afete muito a trama.

Resumindo, Scream tem atores sem carisma algum, enrolação demais á partir de subtramas adolescentes e uma revelação fraca. Porém, é uma série atmosférica, com um suspense bom, e mortes excelentes. Tem um final que deixa algumas questões em branco, e que são suficientes para nos deixar ansiosos para a 2ª temporada. Deve agradar aos fãs do gênero terror e aos fãs dos filmes antigos de ”Pânico”.

Nota: 7.9