A história do filme é a seguinte: Cinco contos de terror entrelaçados se desdobram ao logo de uma estrada deserta. Em um trecho desolado do caminho, vários viajantes cansados – dois homens fugindo de seu passado, uma banda em seu caminho para o próximo show, um homem lutando para chegar em casa, um irmão em busca de sua irmã perdida e uma família em férias – são forçados a confrontar seus piores medos e segredos mais obscuros.

Bem, vou de cara avisando que esse não é um filme qualquer. Fui assisti-lo pensando que seria mais um trash tosco, porém, divertido, como o lançado ano passado ”Holidays”. Me surpreendi ao ver, logo de cara, que não se tratava de tal coisa. Sabe que há alguns filmes que contam várias histórias e nenhuma delas está interligada? Pois é, nesse filme aqui é diferente, não porque as histórias estão interligadas, mas porque todas elas compartilham do mesmo conceito, o inferno.

Os contos em si são bem feitos e escritos. Eu gostei da maioria, com exceção do conto do irmão que vai em busca de sua irmã desaparecida, esse conto para mim não tem nada a agradar, sendo totalmente apressado, desnecessário para o longa e com uma conclusão muito insatisfatória. Dado isso, são contos que você vai precisar pensar bastante para tentar desvendar o seu real sentido.

Sobre os atores, atuam bem. Nenhum deles parece amador aqui -com algumas raras exceções de alguns atores coadjuvantes dos contos-, todos conseguem transmitir as emoções necessárias para com os seus personagens. Mesmo não tendo um grande momento para os seus personagens, os atores entregam uma atuação sólida e decente, nada grandioso -até porque não tinha como, o filme é sobre contos não muito grandes em duração- mas também nada que incomode o espectador.

Preste atenção agora, você pode achar que o filme é sem nexo e inconclusivo, mas você estará totalmente enganado. Apenas pense que o filme inteiro se passa num purgatório que se chama Southbound, dado isso, crie sua teoria e tente entender o filme. Há alguns jumpscares que não pegam de surpresa, o CGI é utilizado algumas vezes e não funciona. Os personagens às vezes tomam algumas decisões extremamente duvidosas. O roteiro é bem escrito e foge um pouco dos padrões de filme sobre contos. Também tem alguns momentos pequenos e sutis que dão pistas sobre as pessoas no purgatório.

Concluindo, ”Southbound” não é nada grandioso, sofre de alguns problemas e com certeza não irá agradar ao público que procura algum tipo de diversão. Mas os contos em geral são bem escritos e feitos para serem pensados.

Nota: 8.7