Uma lenda urbana que intriga a muitos é a lenda sobre o “quadro do menino chorando”.

O quadro foi pintado pelo artista italiano Giovanni Bragolin.

A pintura se transformou em lenda urbana durante a década de 80 por ter vários mistérios em que envolvem o quadro.

Giovanni ficou famoso pois retratava em seus quadros, meninos e meninas chorando.

Uma lenda não é lenda se ela não está repleta de acontecimentos sem explicações, muito ocultismo, várias contradições e controvérsias. E com os quadros do artista Giovanni não foi diferente. A gravura, que até frequentou uma academia de artes em Veneza, acabou ganhando a imagem e fama de “amaldiçoada”.

Segundo os relatos espalhados, o quadro foi um retrato que Giovanni fez do próprio filho.

O garotinho morria de medo do fogo e, para fazê-lo chorar para a pintura, Giovanni torturava o menininho queimando vários palitos de fósforos diante de seu rostinho. Segundo a lenda inglesa, o jovenzinho que tinha medo de fogo teria falecido semanas depois de a obra ser finalizada.

O artista faleceu durante um terrível incêndio em sua casa.

Depois que o retrato da expressão torturante passou a ser produzido em série na Inglaterra, a lenda acabou chegando a se consolidar. Vários incêndios registrados no país foram atribuídos à maldição do quadro, que era um dos poucos itens encontrados sem nenhum dano físico depois dos incidentes.

Existem outras versões sobre a lenda, incluindo as outras crianças retratadas por Giovanni.

Uma delas conta que o pintor, passando por dificuldades ao não conseguir vender seus quadros, decidiu fazer um pacto com o diabo. Só que em vez de oferecer a própria alma no “negócio”, o pintor teria vendido as dos compradores de suas pinturas.

Outra versão conta que as pinturas que eram feitas contariam com várias mensagens subliminares e algumas das crianças retratadas apareceriam com as pupilas dilatadas. O pintor inclusive teria confessado que a causa disso era que os pequenos estariam mortos, e que eram crianças reais que haviam sido abduzidas para serem entregues ao demônio.

Existe ainda histórias de que Giovanni teria pedido a todos os artistas e fãs que tivessem obras suas se desfizessem delas.

Outra delas é que depois de fugir da Itália para a Espanha no período da guerra, o cara teria usado como “modelos” crianças que viviam em um orfanato local que também acabou sendo destruído por um incêndio.